Navigation Menu+

Artista usa muro do CT Rei Pelé para eternizar os craques do Peixe

Paulo Consentino pintará ídolos do Santos na concentração alvinegra. Obra levará um ano para ficar pronta e terá até 100 jogadores retratados

O muro que cerca o Centro de Treinamentos Rei Pelé se transformará em uma grande obra de arte ao ar livre. Nele, Pelé estará próximo de Araken Patusca, Robinho, Neymar e Ganso. Craques do passado e do presente começam a ser eternizados a partir desta quinta-feira, dia em que o Santos completa 99 anos, na área de quase 3.000 m2. O projeto “100 anos de Futebol Arte” é uma ideia do artista plástico – e santista fanático – Paulo Consentino, que vem sendo amadurecida desde 2007. A ideia é transformar a parede em um grande mural a céu aberto, com os maiores nomes da história do Alvinegro.

Três artistas plásticos e um gráfico serão os responsáveis pela obra, que contará ainda com 11 alunos da rede pública da cidade de Santos. São jovens que serão selecionados principalmente pelos seus dotes artísticos. Nas mãos desse pessoal passarão cerca de 1.500 latas de spray, 70 latas de tinta e 600 kg de papel em forma de estênceis. O fundo preto, que servirá de base para as imagens, será pintado por três funcionários do clube. Peixes e estrelas estilizados ajudarão a compor o cenário. Tudo deve ficar pronto até o dia 14 de abril de 2012, data que marca o centenário do Santos.

– Será a história retratada em uma galeria de grandes campeões. Têm retratos que chegam a ter 3 m de altura. O Pelé, óbvio, será a figura que vai aparecer mais vezes e terá uma homenagem no ponto central – disse Consentino ao Globoesporte.com.

O primeiro personagem a ser eternizado no muro será Urbano Caldeira, ex-jogador, técnico e dirigente do Santos e que dá o nome oficial à Vila Belmiro. Na sequência, surgirão ao longo do tempo atletas dos primeiros anos de glórias do Peixe, como Adolfo Millon, ex-ponta-direita da década de 20, Mário Pereira, único campeão do Paulista de 1935 vivo, até que chegue a hora da dupla Neymar e Ganso ser retratada.

– É um trabalho de muita pesquisa, pois não foi fácil encontrar boas imagens dos primeiros atletas. A estética é diferente em cada foto. Se você pegar uma imagem do Millon e uma do Neymar perceberá que as antigas são estáticas e as atuais em movimento. E nós daremos ênfase às comemorações. Vamos usar mais a ação – contou o artista.

O custo da obra não foi divulgado. Tudo será bancado por patrocinadores acionados por Consentino e sua turma. O projeto também foi encaixado na Lei Rouanet de incentivo à cultura, do Governo Federal. O Santos só autorizou o uso do muro para receber a homenagem.

– É uma sensação indescritível o que este trabalho representa. É algo grandioso e de muita responsabilidade. Será a minha maior obra e sobre o time que eu amo. É um misto de ansiedade, nervosismo e alegria – comentou o artista, que já iniciou os trabalhos.